pten
  • 1
  • 7
  • 13
  • 5
  • 20
  • 4
  • 2
  • 13
  • 3
  • 11
  • 14
  • 15
  • 8
  • 12
  • 11
  • 10
  • 6
  • 9
  • 14
  • 12

Em Rede  Ligações  Grupos de trabalho     

emRede - folha informativa

Redes Rurais EU 

Rede ENRD

 

EIP-AGRI

   

 

 WhatHorizon2020

 

 

Portugal 2020

PDR 2020

Prorural

Proderam2020

 gpp

IFAP

 Em destaque

Terra Futura - Agenda de Inovação para a Agricultura 20 | 30

11-09-2020

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, apresentou hoje, na Agroglobal, a Terra Futura - Agenda de Inovação para a Agricultura 20 | 30, a qual pretende nortear a estratégia e as ...

Ler mais

Comissão Europeia lança consulta pública sobre visão a longo prazo para as zonas rurais

08-09-2020

A Comissão Europeia lança hoje uma consulta pública sobre a sua nova iniciativa: uma visão a longo prazo para as zonas rurais. O objetivo desta consulta é recolher pontos de vista ...

Ler mais

Disponível nova edição da revista "emRede" sobre Inovação Territorial em Espaços Rurais

30-06-2020

Já se encontra disponível em formato digital o nº 10 da revista "emRede" com o tema da "Inovação Territorial em Espaços Rurais". Nesta publicação editada pela Rede Rural Nacional um ...

Ler mais

Conheça os vencedores do Rural Inspirational Awards 2020

26-06-2020

Os vencedores do Rural Inspiration Awards 2020, concurso promovido pela Rede Europeia de Desenvolvimento Rural (ENRD), foram anunciados por Janusz Wojciechowski, Comissário Europeu para a Agricultura, na noite de 25 ...

Ler mais

Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola 2020 - candidaturas abertas!

15-06-2020

Estão abertas, até dia 11 de setembro, as candidaturas à 7ª edição do Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola 2020, desta vez com o mote “o futuro nasce da sustentabilidade” ...

Ler mais

Registe o seu Mercado Local na plataforma Alimente quem o Alimenta

04-06-2020

A plataforma digital Alimente quem o Alimenta criou uma nova área de registo de Mercados Locais, onde as entidades responsáveis por estes espaços podem efetuar a respetiva inscrição, através do ...

Ler mais

Comissão Europeia publica Estratégia de Biodiversidade para 2030 e estratégia "Farm to Fork"

20-05-2020

Na sequência da nova e abrangente estratégia de biodiversidade, como parte do Pacto Ecológico Europeu (Green Deal), apresentado pela Comissão Europeia em finais de 2019, foram hoje publicados os dois documentos ...

Ler mais

Plataforma “Alimente quem o Alimenta” dinamiza comércio de proximidade

11-05-2020

Entre em www.alimentequemoalimenta.pt e fique a conhecer a nova plataforma digital que adota o mote da campanha "Alimente quem o Alimenta", do Ministério da Agricultura, para ajudar e apoiar os produtores ...

Ler mais

Lançamento do portal “Alimente quem o Alimenta”

16-04-2020

Foi hoje lançado o novo portal alimentequemoalimenta.pt, uma plataforma online de promoção e divulgação de circuitos curtos alimentares, que visa aproximar produtores e consumidores e fomentar o consumo de produtos locais ...

Ler mais

Circuitos curtos alimentares em foco na revista "emRede" nº3

09-04-2020

Num momento em que o apelo recai sobre a importância do consumo de produtos nacionais, de origem local, comercializados através de circuitos de proximidade, recordamos a edição nº 3, publicada ...

Ler mais

UE: Acordo sobre orçamento a longo-prazo tem de ser melhorado para obter aprovação do Parlamento Europeu

european parliament strasbourg flagsO Parlamento Europeu contesta o acordo político sobre o orçamento da UE para 2021-2027 na sua versão atual e está pronto para encetar negociações com o Conselho para melhorar a proposta.

Numa resolução aprovada esta tarde com 465 votos a favor, 150 contra e 67 abstenções, os eurodeputados congratulam-se com o facto de os chefes de Estado e de Governo da UE terem aprovado um fundo de recuperação para relançar a economia, em conformidade com o que o Parlamento Europeu (PE) havia proposto em maio, considerando-o “um passo histórico para a UE”.

A assembleia europeia lamenta, no entanto, “os importantes cortes na componente de subvenções” e solicita a sua plena participação no instrumento de recuperação para assegurar um relançamento “transparente e democrático”.

Orçamento 2021-2027: PE não dará o seu aval a um facto consumado

O PE está igualmente insatisfeito com os cortes efetuados em programas orientados para o futuro no âmbito do quadro financeiro plurianual (QFP) para 2021-2027, como nos domínios da investigação, do clima, da transição digital e da juventude. Estes cortes “comprometerão as bases de uma recuperação sustentável e resiliente”, avisa, salientando que “não está disposto a dar o seu aval a um facto consumado” e que as conclusões do Conselho Europeu sobre o QFP “apenas representam um acordo político” entre chefes de Estado e de Governo.

A equipa de negociação do PE sobre o QFP 2021-2027 e a reforma dos recursos próprios, da qual fazem parte os eurodeputados portugueses Margarida Marques e José Manuel Fernandes, está pronta para encetar de imediato negociações construtivas com o Conselho da UE para melhorar a proposta.

O Parlamento “está preparado para não dar a sua aprovação ao QFP enquanto não for alcançado um acordo satisfatório nas próximas negociações”, diz a resolução. A assembleia espera, no entanto, que esse acordo seja atingido “o mais tardar até ao final de outubro”, a fim de não comprometer o arranque sem problemas dos novos programas a partir de 1 de janeiro de 2021.

Cortes no orçamento plurianual põem em risco programas emblemáticos da UE

O financiamento de vários programas europeus emblemáticos está em risco de “sofrer uma queda imediata de 2020 para 2021”, alerta o PE. Além disso, a partir de 2024, o orçamento global da UE será inferior aos níveis de 2020, colocando em risco os compromissos e as prioridades da União, em particular o Pacto Ecológico e a Agenda Digital.

O PE manifesta a sua intenção de negociar “reforços específicos” de programas emblemáticos da UE no QFP, os quais não devem ser postos em risco devido à necessidade de financiar imediatamente o instrumento de recuperação. Esses aumentos específicos devem destinar-se a programas nos domínios do clima, da transição digital, da saúde, da juventude, da cultura, das infraestruturas, da investigação, da gestão das fronteiras e da solidariedade, salienta.

Entre os programas em causa encontram-se o Horizonte Europa, o InvestEU, o Erasmus+, o Programa UE pela Saúde, o Fundo para uma Transição Justa e o Programa Europa Digital, entre outros.

Rede de segurança para os beneficiários de programas europeus

Os eurodeputados relembram que, caso um novo QFP não seja adotado a tempo, o artigo 312.º, n.º 4 do Tratado sobre o Funcionamento da UE prevê uma prorrogação temporária dos limites máximos do último ano do presente QFP (ou seja, 2020), o que seria plenamente compatível com o plano de recuperação e com a aprovação dos novos programas do QFP.

Mecanismo que ligue o financiamento da UE ao respeito pelo Estado de direito

A assembleia lamenta o facto de o Conselho Europeu ter “enfraquecido significativamente” os esforços envidados pela Comissão e pelo PE para defender o Estado de direito, os direitos fundamentais e a democracia no quadro do QFP e do instrumento de recuperação “Next Generation EU”.

O PE quer completar o seu trabalho de colegislador sobre o mecanismo proposto pela Comissão para proteger o orçamento da UE sempre que exista uma ameaça sistémica aos valores europeus, defendendo que, para ser eficaz, este mecanismo deve ser ativado por maioria qualificada invertida.

A proposta de regulamento relativa ao Estado de direito será negociada pelo PE e pelo Conselho da UE no âmbito do processo de codecisão.

Criação de novos recursos próprios para reembolsar a dívida

O PE reafirma que não dará a sua aprovação ao QFP sem um acordo sobre a reforma do sistema de recursos próprios (receitas da UE), incluindo a introdução de um cabaz de recursos próprios novos até ao final do QFP 2021-2027, que deverá ter como objetivo cobrir, pelo menos, os custos relacionados com o instrumento de recuperação (capital e juros).

Os eurodeputados consideram que “os chefes de Estado e de Governo da UE se eximiram a dar resposta à questão do plano de reembolso do instrumento de recuperação”, recordando que só existem três opções: novos cortes nos programas europeus, um aumento das contribuições dos Estados-Membros ou a criação de novos recursos próprios.

Só a criação de novos recursos próprios, “o único método de reembolso aceitável para o Parlamento”, pode ajudar a reembolsar a dívida da UE, salvaguardando ao mesmo tempo o orçamento comunitário e aliviando a pressão orçamental sobre os erários nacionais e os cidadãos, dizem os eurodeputados.

Revisão intercalar do QFP

O PE solicita que, o mais tardar até ao final de 2024, tenha início uma revisão intercalar “juridicamente vinculativa” do QFP. Esta revisão deve ter por objeto os limites máximos para o período 2025-2027, a redistribuição das dotações não autorizadas e anuladas do instrumento de recuperação, a introdução de recursos próprios suplementares e a realização dos objetivos em matéria de clima e biodiversidade.

Dever coletivo de solidariedade

Na resolução hoje aprovada, o PE manifesta o seu pesar pelas vítimas do coronavírus e presta homenagem a todos os trabalhadores que lutam contra a pandemia. “Face a estas circunstâncias excecionais e sem precedentes, os cidadãos da UE têm um dever coletivo de solidariedade”, diz a assembleia.

Próximos passos

O Conselho da UE irá agora finalizar o seu mandato para entrar em negociações com o PE sobre o QFP para 2021-2027, sobre o qual a assembleia europeia terá a palavra final.

A resolução hoje aprovada corrobora o mandato do PE para as negociações com o Conselho da UE, presidido neste semestre pela Alemanha.

Qualquer acordo sobre o QFP terá de ser aprovado pelo PE, por maioria dos membros que o compõem, para poder entrar em vigor.

Os textos legislativos setoriais sobre cada programa europeu (Horizonte Europa, Programa Europa Digital, Erasmus+, etc) terão, por seu lado, de ser negociados e acordados entre o PE e o Conselho no âmbito do processo de codecisão. O atual QFP termina em 31 de dezembro de 2020.

A base jurídica escolhida para criar o instrumento de recuperação não confere um papel formal ao PE. No entanto, a assembleia europeia relembra que é um dos braços da autoridade orçamental, defendendo um controlo democrático e parlamentar ex ante e ex post do plano de recuperação.

Vídeo das intervenções de eurodeputados portugueses no debate

José Gusmão (CEUE/EVN)

Margarida Marques (S&D), correlatora do PE sobre o QFP 2021-2027

Paulo Rangel (PPE)

Lídia Pereira (PPE)

 

Fonte: Parlamento Europeu

Plataforma

Alimente quem o Alimenta 

veg by freepik from flaticon

 

Website 

Inovação na Agricultura

   

 

Opinião num minuto

 

BolsaNacionalTerras

Guia de apoio à criação de microempresas

 

guiaapoioExpAg

      

 SAAF

 

  Parceria Portuguesa para o Solo 

 

produtos tradicionais

 

 

Pordata