pten
  • 1
  • 14
  • 11
  • 7
  • 12
  • 10
  • 9
  • 8
  • 2
  • 15
  • 6
  • 4
  • 5
  • 11
  • 13
  • 12
  • 3
  • 13
  • 14

Em Rede  Ligações  Grupos de trabalho     

emRede - folha informativa

Redes Rurais EU 

Rede ENRD

 

EIP-AGRI

IFAP

 

 

Portugal 2020

PDR 2020

Prorural

Proderam2020

 presidencia UE Bulgaria

WhatHorizon2020

gpp

Cabaz de Produtos Agroalimentares

CONCEITO DE CABAZ DE PRODUTOS AGROALIMENTARES

Venda direta de um conjunto diversificado de produtos agroalimentares, locais e sazonais, com entrega regular, num local previamente combinado entre o produtor e o consumidor (domicílio do consumidor, sede de empresa, exploração agrícola, cooperativas, lojas e outros locais).


Aspetos caraterizadores dos Cabazes:

Produtos que habitualmente entram nos cabazes: hortícolas, frutas, plantas aromáticas, ovos, pão, compotas, queijos, licores, mel, carne e doçaria. Os produtos apresentam uma qualidade reconhecida pelos consumidores, sendo muitas vezes produzidos em modo de produção biológico ou em modo de produção integrado.

Os cabazes podem ter uma constituição, tamanho e regularidade de entrega diversificadas:

  1. Constituição e tamanho do cabaz: um só ou vários tamanhos de cabaz; o consumidor pode ter a possibilidade de escolha dos produtos a incluir no cabaz; cabazes com produtos pré definidos, podendo, nalguns casos, alterar alguns produtos.
  2.  Regularidade da entrega: semanal, quinzenal, mensal, sem regularidade exigida
    Existe sempre uma relação direta entre o produtor e o consumidor. No âmbito da venda na modalidade cabaz são muitas vezes organizados momentos de convívio, geralmente nas explorações dos produtores. A venda efetua-se por encomenda, geralmente por internet ou telefone.

Em Portugal, a venda na modalidade cabaz tem surgido por iniciativa de Grupos de Ação Local (GAL), Câmaras e Cooperativas, sendo a sua organização continuada pelos produtores, que se juntam para escoar os seus produtos e satisfazer as encomendas dos consumidores. A venda pode ser feita por um único produtor, mas o mais comum é a agregação de 2 ou mais produtores, que complementam os produtos do cabaz e distribuem entre si tarefas: divulgar os cabazes, organizar as encomendas, fazer os cabazes, entregá-los e organizar a contabilidade.

Em muitos casos, as iniciativas de comercialização através de cabazes, e em particular o projeto PROVE, estimulam processos de trabalho coletivo e de organização, contribuindo para a sustentabilidade local e dinâmicas de desenvolvimento territorial.


Condições para a organização da comercialização através de Cabaz:

  1. Existir proximidade de um centro urbano, com um número suficiente de consumidores interessados num consumo saudável e de qualidade;
  2. Planear a produção por forma a garantir diversidade e variedade de produtos frescos ao longo de todo o ano;
  3. Garantir os meios para assegurar a qualidade e regularidade dos produtos comercializados;
  4. Organizar a produção na exploração de forma a possibilitar a colheita fácil dos diversos produtos a comercializar;
  5. Disponibilizar um local para preparação e organização dos cabazes, sem encargos de aluguer, com uma localização próxima das explorações dos produtores e do local de entrega dos cabazes; com condições adequadas às diferentes situações climatéricas e que permitam garantir o cumprimento das regras de higiene;
  6. Definir e organizar um sistema de encomendas, de preparação de cabazes e de definição de preços dos cabazes e dos produtos que vão fazer parte do cabaz;
  7. Definir e organizar um sistema de entregas adequado aos consumidores, respeitando as suas encomendas, a regularidade e pontualidade de entrega acordada;
  8. Selecionar locais de entrega acessíveis, com condições que permitam : o descarregamento dos cabazes, o estacionamento dos veículos dos consumidores, área suficiente para colocação de todos os cabazes e espaço de encontro entre produtores e consumidores;
  9. Os produtores devem ter capacidade e disponibilidade para estabelecer uma relação de proximidade com os consumidores, auscultando regularmente o seu grau de satisfação e recolhendo críticas e sugestões;
  10. Organizar sistemas de divulgação da comercialização do cabaz, selecionando contactos com entidades locais e utilizando os meios de comunicação habituais para contacto com os consumidores locais;
  11. Disponibilizar informação sobre os produtos, práticas agrícolas utilizadas e optativamente receitas e tradições locais;
  12. Disponibilizar informação sobre produtos da época e os seus ciclos de produção.
    Exemplos de cabazes (pdf).

Rede Rural Nacional Governo de Portugal Fundo Europeu Agrícula de Desenvolvimento Rural