pten
  • 10
  • 7
  • 13
  • 9
  • 11
  • 14
  • 2
  • 1
  • 4
  • 13
  • 14
  • 11
  • 12
  • 6
  • 12
  • 3
  • 8
  • 15
  • 5

emRede - folha informativa

Opinião num minuto

 

BolsaNacionalTerras

Guia de apoio à criação de microempresas

 

guiaapoioExpAg

      

 SAAF

 

  Parceria Portuguesa para o Solo 

 

produtos tradicionais

 

 

Pordata

 

 

 Em destaque

Inovação rural: desenvolvimento de soluções reais para áreas rurais inteligentes e resilientes na Europa

22-02-2021

Quase um terço dos europeus vive em áreas rurais, que representam mais de três quartos da área total da União Europeia (UE). Estas áreas contribuem fortemente para a cultura e as sociedades europeias e são um cenário-chave na luta contra as alterações climáticas e para uma melhor gestão dos recursos. Este pacote de resultados CORDIS apresenta nove projetos financiados pela UE que têm trabalhado arduamente para fomentar o potencial de inovação rural e contribuir positivamente para a visão de longo prazo da UE para as áreas rurais.

Ler mais

Consulta da Comissão sobre a nova Estratégia de Solos da UE

08-02-2021

A Comissão Europeia lançou uma consulta pública online sobre o desenvolvimento de uma nova Estratégia para os Solos da UE, convidando os cidadãos e as organizações a contribuírem 27 de abril de 2021 para a sua preparação e a partilharem os seus pontos de vista sobre potenciais objetivos e ações.

Ler mais

Obrigado e Boas Entradas em 2021

31-12-2020

A Rede Rural Nacional vem agradecer as muitas mensagens recebidas nesta quadra festiva e retribuir a todos os seus parceiros e amigos os votos de um excelente Ano de 2021, repleto de oportunidades e conquistas!

Ler mais

Plano Estratégico da PAC 2023-2027: Consulta alargada alargada até 8 de janeiro de 2021

18-12-2020

Encontra-se aberta a primeira fase do processo de consulta alargada do Plano Estratégico de Portugal no âmbito da Política Agrícola Comum, para o período 2023-2027. Convida-se à participação e envio de contributos até 8 de janeiro de 2021.

Ler mais

Webinar junta parceiros para discutir Dieta Mediterrânica

11-11-2020

O Centro de Competências da Dieta Mediterrânica (CCDM) e a Câmara Municipal de Tavira (CMT), em colaboração com a Universidade do Algarve (UAlg) e as Direções Regionais de Agricultura e Pescas do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, e Alentejo, organizaram, no dia 30 de outubro, uma sessão de divulgação online sobre o potencial da Dieta Mediterrânica (DM) na promoção da coesão e desenvolvimento sustentável dos territórios.

Ler mais

Conferência "Do Prado ao Prato" debate sistemas alimentares sustentáveis

21-10-2020

A Conferência Do Prado ao Prato - Construir em conjunto sistemas alimentares sustentáveis (Farm to Fork Conference - Building sustainable food systems together) realizou-se nos últimos dias 15 e 16 de outubro de 2020 e tratou-se de um encontro anual de entidades europeias interessadas em ajudar a construir o caminho da UE para sistemas alimentares mais sustentáveis.

Ler mais

Aprovado Acordo sobre Orientação Geral do Conselho para a Reforma da PAC

21-10-2020

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, participou nos dias 19 e 20 de outubro, no Luxemburgo, no Conselho de Ministros de Agricultura da União Europeia. Após uma longa ronda negocial entre os 27 Estados Membros, foi alcançado um acordo relativo à aplicação da Política Agrícola Comum (PAC) para o próximo ciclo de programação.

Ler mais

Aprovada a Agenda de Inovação para a Agricultura 2020-2030

13-10-2020

Foi publicada a Resolução do Conselho de Ministros n.º 86/2020, de 13 de outubro de 2020, que aprova a Agenda de Inovação para a Agricultura 2020-2030, a qual tem como propósito fazer crescer a Agricultura, de forma sustentável e baseada na inovação.

Ler mais

Programa Alimentar Mundial, das Nações Unidas, vence o Nobel da Paz de 2020

09-10-2020

O prémio Nobel da Paz de 2020 foi atribuído hoje ao Programa Alimentar Mundial, das Nações Unidas, “pelos seus esforços no combate à fome, pelo seu contributo para melhorar as condições pela paz em zonas atingidas por conflitos e por agir como uma força motriz nos esforços para prevenir o uso da fome como uma arma de guerra e de conflito”. O Programa Alimentar Mundial, com sede em Roma,  foi criado em 1961 e é a maior organização no planeta a promover a segurança alimentar. Todos os anos presta assistência a cerca de 90 milhões de pessoas em mais de 80 países. Para ...

Ler mais

Terra Futura - Agenda de Inovação para a Agricultura 20 | 30

11-09-2020

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, apresentou hoje, na Agroglobal, a Terra Futura - Agenda de Inovação para a Agricultura 20 | 30, a qual pretende nortear a estratégia e as políticas do setor. Para saber mais.  

Ler mais

Cereais do Alentejo ajudam Nestlé a atingir a neutralidade carbónica até 2050

cereAISPerante o risco que as alterações climáticas representam para o futuro da alimentação e tendo em conta que a produção e o consumo de alimentos são uma das principais fontes de emissões de gases com efeito de estufa (GEE), a Nestlé comprometeu-se a reduzir para metade as suas emissões até 2030 e a atingir a neutralidade carbónica até 2050, tendo já criado uma linha de investimento para os próximos cinco anos num total de CHF 3,2 mil milhões.

Em Portugal a Nestlé tem já um caminho percorrido para este objetivo.

Este investimento será canalizado em duas frentes: através da redução das emissões de GEE ao longo de toda a cadeia de produção da Nestlé, do campo ao prato, e através da implementação de projetos de captação de carbono, nos solos e com a plantação de árvores. Para esta transformação, que será operada também na Nestlé Portugal, o fomento de práticas de agricultura regenerativa é o fator preponderante deste novo paradigma, uma vez que mais de 2/3 das emissões da Nestlé em Portugal têm origem nas matérias-primas agrícolas que compra para produzir os seus produtos.

Paolo Fagnoni, Diretor-geral da Nestlé Portugal comentou: “Na Nestlé a metodologia de desenvolvimento de produtos aplica o princípio sustainable by design, o que significa que não basta que os produtos sejam saborosos, nutritivos e convenientes, mas devem igualmente refletir uma sólida preocupação com o ambiente em todo o seu ciclo de vida. É também desta forma que cumprimos o nosso propósito de desenvolver o poder da alimentação para melhorar a qualidade de vida de todos, hoje e para as gerações futuras. Este caminho não o estamos a fazer sozinhos em Portugal. Contamos com o apoio dos nossos parceiros em toda a cadeia de valor, porque um sistema alimentar regenerativo é uma responsabilidade de todos. Estamos confiantes de que esta forma colaborativa de trabalhar, com ganhos de escala, nos permitirá atingir o objetivo de em 2030 reduzirmos as nossas emissões de GEE para metade.”

Fomentar uma agricultura regenerativa / sustentável

Mais de 2/3 das emissões da Nestlé provêm da produção de matérias-primas agrícolas que utiliza e que são obtidas junto dos agricultores portugueses com os quais trabalha. Para combater as emissões provenientes da agricultura, a Nestlé Portugal, em conjunto com os seus fornecedores, vai melhorar a forma como as matérias-primas são produzidas. O objetivo é substituir as práticas agrícolas intensivas por agricultura regenerativa, também ela promotora de solos mais saudáveis.

Solos saudáveis

Em Portugal, a Nestlé trabalha com agricultores no Alentejo, para produzir cereais com características específicas (baixos teores de pesticidas) para o fabrico, entre outros, de papas de cereais infantis CERELAC. Esta ligação aos agricultores permite assegurar a qualidade do produto final e promove práticas agrícolas, desde a sementeira até à colheita, mais amigas do ambiente. As especificações técnicas de matérias-primas são trabalhadas de perto com o agricultor desde o momento da compra da semente, passando pela sementeira e até à colheita. A este nível, o grande objetivo é obter 50% das suas principais matérias-primas através de práticas agrícolas mais sustentáveis até 2030.

Compra sustentável de cacau e café

O cacau e o café são duas matérias-primas chave que a Nestlé utiliza em muitos dos seus produtos. A empresa não quer que a produção destas matérias-primas esteja ligada à desflorestação, o que contribui fortemente para as emissões de carbono. Até 2025, 100% do cacau e do café que a Nestlé utiliza na sua fábrica do Porto será proveniente de fontes sustentáveis. Para isso está a colaborar com os agricultores para evitar a desflorestação e a lançar um ambicioso plano de reflorestação. A empresa está comprometida a plantar 20 milhões de árvores todos os anos até 2030. Em Portugal, foram já plantadas 1000 árvores e estão previstas mais 1000.

Incentivar os consumidores a escolherem produtos mais sustentáveis

A Nestlé em Portugal quer incentivar os consumidores a escolherem produtos mais saudáveis e mais sustentáveis. A empresa acelerou a oferta de alimentos e bebidas à base de plantas, como por exemplo, o SENSATIONAL BURGER de Garden Gourmet que tem uma pegada de carbono 80% inferior à de um hambúrguer de carne de vaca e está classificado com “A” no esquema de informação nutricional Nutri-Score. Para além dos produtos de alimentação flexitariana, a Nestlé Portugal tem já, em algumas das suas categorias de consumo, outros produtos plant-based para toda a família de que são exemplo os alimentos 100% vegetais para bebés, as bebidas vegetais achocolatas e os Lattes vegetais. Todos estes produtos podem ser encontrados pelos consumidores portugueses nos estabelecimentos de retalho.

Algumas das principais marcas da Nestlé à venda em Portugal atingirão em breve a neutralidade carbónica: Garden Gourmet, Nespresso, S.Pellegrino, Perrier, Acqua Panna e Vittel até final de 2022. A avaliação da neutralidade carbónica para as marcas da Nestlé segue as normas internacionais estabelecidas para avaliar o impacto ambiental durante todo o ciclo de vida do produto.

Utilizar as embalagens de uma forma circular

Para a Nestlé Portugal reduzir as suas emissões em 50% até 2030 terá também de tornar as suas embalagens mais sustentáveis, o que significa utilizar materiais reciclados e desenvolver embalagens recicláveis e reutilizáveis. Estas soluções ajudarão a alcançar o objetivo estabelecido pela Nestlé de utilizar menos 1/3 de plástico virgem até 2025, o que será conseguido através de um investimento até 2 mil milhões de euros para acelerar a disponibilidade de plástico reciclado para uso alimentar. Em Portugal, mais de 90% de todas as embalagens são já recicláveis ou reutilizáveis.

Repensar a forma como fabricamos

Em Portugal, 100% da eletricidade comprada pela Nestlé é de origem renovável certificada. Esta é a energia usada nas suas fábricas do Porto e de Avanca, no seu Centro de Distribuição em Avanca e na sua sede em Linda-a-Velha. Até 2025, em termos globais, a Nestlé assumiu o compromisso de utilizar eletricidade 100% renovável em todas as suas instalações.

O artigo foi publicado originalmente em O Digital.

Plataforma

 Alimente quem o Alimenta 

Alimente quem o alimenta

 

Website 

Inovação na Agricultura

 

Folhas informativas

Folhas
Informativas

 

   

Agenda de eventos

 

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
2
6
7
8
9
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
24
26
28

 

 

Redes Rurais EU 
Rede ENRD
EIP-AGRI
Presidencia UE PT21
Comissão Europeia
WhatHorizon2020

 

 

 
 
Portugal 2020
PDR 2020
Prorural
Proderam2020
Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral (GPP)
Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas,I.P - IFAP